Home / Coisas de Santos / Santo Antônio Baldinucci

Santo Antônio Baldinucci

beato_antonio_baldinucciUma figura extraordinária, o Beato Antônio cresceu em um ambiente profundamente cristão, e os seus sonhos de infância eram de se tornar um missionário na Índia e até mesmo na China.

Sua má saúde torna impossível o seu sonho, e muitas vezes durante a infância ele fica às portas da morte, por causa de sua fragilidade e fraqueza.

Mas o Senhor faz uso das ferramentas mais simples para realizar suas grandes obras.

Antonio nasceu em Florença em 1665, na festa de Santo Antônio, do qual recebeu o nome. Foi o quinto filho de Catherine Felipe Scolari e Baldinucci. Seu pai, que era um pintor e escritor, que foi curado de uma doença por intercessão de Santo Antônio de Pádua, e prometeu consagrar a Deus no seu próximo filho.

Seu pai o criou desde o início para o sacerdócio. A família viveu na mesma casa na Via degli Angeli, em Florença, onde São Luis Gonzaga tinha passado algum tempo em criança e a memória deste santo exerceu uma profunda influência sobre Antonio.

Ele entrou na Companhia de Jesus, fundada por Santo Inácio de Loyola e aos trinta anos, ordenado sacerdote. Quando ele terminou o terceiro ano, ofereceu-se novamente para as missões das Índias, mas seus superiores não concordaram, e enviaram-no para trabalhar em Viterbo e Frascati, onde passa trinta anos trabalhando especialmente entre os pobres e na instrução das pessoas.

Saia pelas cidades da Itália central, segurando um crânio, um sinal tangível da morte que aguarda a todos, e com uma imagem de Maria “Refúgio dos Pecadores”, ele suscitava muitas conversões entre os habitantes locais, com seus sermões simples que tocavam os sentimentos de muitos: foi a sede para a conversão das almas que o animava, fazendo vagando incansável em cada dia.

“Céu, Céu, ou bela pátria …”, ele costumava dizer durante seus sermões: como seria o nosso dia se pensássemos mais!

Este episódio passou-se em Giuliano (Itália), durante um sermão seu sermão, quando pregava missões, no dia 12 de Abril de 1706. A pregação ocorria sob um grande olmo, e sem vento, de acordo com vários relatos de testemunhas oculares, entre eles um testemunho emitido com juramento perante 4 canonistas, quando o Beato disse: 

“Meu povo, sabeis como caem as almas no inferno? Como as folhas caem desta árvore! ” 

Imediatamente começaram a cair folhas daquela árvore como se nevasse e a árvore ficou sem folhas, enquanto as outras árvores continuavam com todas as folhas.

As pessoas começaram a chorar e pedir perdão a Deus, durante meia-hora.

Ainda hoje a imagem de Maria “Refúgio dos Pecadores” que converteu tantas almas, é preservada na Igreja do Gesú, em Frascati, onde o santo morreu no dia 07 de novembro de 1717.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *